domingo, 30 de outubro de 2016

Aborrecimentos

Não deixo de estranhar esta sensação de agradecimento aos 31 anos; ao fim de quase dez anos de "experiências interessantes" nada me tem sabido melhor do que esta rotina que oscila entre o tédio matemático e a tradução de gregos e outros que tais mortos, sem o mínimo protesto pelo corte salarial de que fui vítima - vítima não é o termo, mas não me julgo um grande filólogo...

Há, claro, alguma saudade, por uma questão de rotina, lá está. Tento explicar isto aos meus colegas, mas não entendem. Sabem muitas coisas, muitas mais do que eu (muitas mais é mau português), e alguns até compartilham a paixão por idiomas meio esquisitos - ainda assim ninguém me convencerá a aprender uma língua escandinava -  é apenas esta leve, breve e inofensiva melancolia que lhes escapa. É um problema geográfico, acima de tudo.

Sem comentários:

Enviar um comentário